Publicado em :05/10/2017

Análise Setorial – Edição de 05/10/2017

Reportagem do O Globo Online conta os planos da Rede D´Or para as antigas instalações da Beneficência Portuguesa, no Rio de Janeiro, arrematada pelo grupo em leilão judicial por R$ 60 milhões. “Será a maior unidade da rede no Rio, por isso teremos condições de atender a um universo mais abrangente de planos de saúde. Isso dará oportunidade de assistir a um conjunto de usuários que hoje não tem acesso aos nossos hospitais”, afirma Marcelo Pina, diretor executivo da Rede D’Or e responsável pelo projeto, avaliado em R$ 300 milhões.

Glauco José Côrte, presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e Fabrizio Pereira, superintendente do Sesi-SC, destacam em artigo para o Correio Braziliense a importância do investimento na saúde dos trabalhadores tanto por parte da iniciativa privada como do Estado. “Saúde e qualidade de vida dos trabalhadores, a exemplo da educação e capacitação profissional, são aspectos de absoluta relevância no mundo dos negócios e, pela sua condição estratégica, devem estar no centro das atenções dos empresários”, defendem.

Em relação os trabalhadores da área de saúde em específico, o presidente da Associação Nacional dos Hospitais Privados (ANAHP), em artigo para a Folha Online, lembra que há 14 profissões regulamentadas. “Cada uma delas é importante para cuidar adequadamente dos cidadãos. Muitos dos seus sindicatos e conselhos profissionais, porém, dedicam-se a outra missão, menos nobre: obter privilégios em relação aos demais trabalhadores”, revela. “Vistos em conjunto, esses privilégios criam um manicômio trabalhista, no qual os membros das categorias protegidas escavam reservas de mercado e benefícios em detrimento das categorias desprotegidas, da produtividade das empresas, da grande massa de brasileiros no mercado informal e, especialmente, dos pagadores de impostos”, avalia.

Na área de pesquisas médicas, O Estado de S. Paulo registra que cientistas brasileiros e americanos criaram um coquetel com anticorpos produzidos em laboratório que, em testes com macacos, impediu em até 100% a replicação do vírus da zika. A pesquisa foi realizada por cientistas da Universidade de Miami (EUA), em parceria com o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e a Universidade de São Paulo (USP).

A coluna Mercado Aberto, da Folha de S. Paulo, informa que o faturamento do setor de serviços na cidade de São Paulo subiu 4,4% no acumulado deste ano até agosto, segundo a FecomercioSP. O aumento foi puxado principalmente pelos setores de saúde (laboratórios, hospitais e clínicas) e de corretagem, que inclui desde imobiliárias até casas de câmbio.