Publicado em :09/10/2017

Análise Setorial – Edição de 09/10/2017

“Vivíamos 40 anos e agora passamos para 80. Alguém precisa pagar essa conta”, diz Claudio Lottenberg, CEO do UnitedHealth Group Brasil, em entrevista para a Folha de S. Paulo com chamada na capa. Para ele, há muito desperdício no sistema de saúde por fraudes, falta de informações e processos. “Tem uma avenida para se trabalhar antes de falar que falta dinheiro.”

Sobre a judicialização, a Agência Brasil registra que a Defensoria Pública de São Paulo e a ANS firmaram um termo de cooperação técnica na última semana. O acordo deve agilizar a resolução de problemas que envolvam planos de saúde e que são levados à defensoria pelos usuários. “O objetivo é que os defensores públicos, ao receberem essas demandas, tenham a opção de acionar a ANS por meio da Notificação de Intermediação Preliminar (NIP) – canal de comunicação intermediado pela própria agência, incumbida de registrar os problemas narrados pelos usuários, promover o devido encaminhamento às prestadoras do serviço e acompanhar a efetivação das soluções amigáveis”, divulgou a defensoria.

Em outra frente, que aborda a promoção à saúde nas empresas, a colunista Stela Campos, do Valor Econômico, escreve que, recentemente, uma companhia relatou a ela que um de seus programas de recursos humanos vincula o cumprimento de metas de emagrecimento a um período adicional de férias. “Muitas pessoas acham isso uma evolução natural e moderna das relações de trabalho. Porém, O trabalho já ocupa nossos momentos de ócio doméstico quando levamos as preocupações conosco após o expediente. Pesquisas mostram que cada vez mais ele tira o sono dos profissionais. Os executivos têm dormido cada vez menos e com isso estão mais angustiados e infelizes. Se, além disso, tivermos que deixar de dar uma beliscada em um docinho para não perder a recompensa e o status no trabalho, a vida pode se tornar ainda mais amarga”, avalia.