» Valor Econômico – Rede D’Or negocia com Hospital São Rafael
Publicado em :23/10/2017

Valor Econômico – Rede D’Or negocia com Hospital São Rafael

A Rede D’Or São Luiz está em negociações finais para a aquisição de cerca de 60% do Hospital São Rafael, localizado em Salvador. O negócio gira entre R$ 420 milhões e R$ 480 milhões, segundo o Valor apurou.

Ainda de acordo com fontes, o hospital todo é avaliado em R$ 700 milhões, mas essa quantia pode chegar a R$ 800 milhões dependendo do desempenho financeiro. A expectativa é que neste ano o faturamento do São Rafael, que tem 400 leitos e 12 salas cirúrgicas, chegue a R$ 600 milhões.

Com essa aquisição, a Rede D’Or entra no mercado da Bahia. Até então, a presença da maior rede hospitalar do país no Nordeste estava restrita a Pernambuco, onde tem hospitais em Recife e Olinda. No total, o grupo é dono de 34 hospitais no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Pernambuco.

O São Rafael está localizado numa das praças mais cobiçadas pelo mercado atualmente. A Bahia tem o melhor PIB do Nordeste e os hospitais, clínicas e laboratórios do Estado não têm uma dependência concentrada nas Unimeds como ocorre em várias regiões do Brasil, o que acaba inibindo a entrada de investidores. Além disso, o problema da judicialização, que era muito forte há alguns anos na Bahia, diminuiu e motivou as operadoras atuarem na região.

Entre os investidores e grupos de saúde interessados no mercado baiano estão, por exemplo, o conglomerado chinês Fosun , que negocia a compra do controle da Hospital da Bahia por cerca de R$ 1 bilhão, e a operadora Hapvida , que adquiriu, em julho, o Hospital Semed, cujas unidades ficam em Camaçari. Há ainda a gestora de private equity Pátria, que analisa aquisições de hospitais na Bahia e a própria Rede D’Or que negocia, atualmente, a compra do controle do São Rafael, mas pode vir adquirir a totalidade do hospital baiano no futuro, de acordo com fontes.

O interesse dos investidores e grupos de saúde aumentou após a aprovação da lei, em 2015, que permite capital estrangeiro em hospitais brasileiros.

Em junho, a Rede D’Or fechou um empréstimo de longo prazo de US$ 210 milhões com a International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial para o setor privado. Os recursos estão sendo destinados para expansão do grupo que hoje tem 6 mil leitos e tem como meta ampliar para 10 mil nos próximos cinco anos.

No ano passado, a Rede D’Or apurou uma receita líquida de cerca de R$ 8 bilhões e um lucro líquido de R$ 816 milhões.